• Colo Cumaru

Cuidados paliativos: um olhar humanizado sobre as pessoas

Atualizado: 3 de jul.

Os cuidados paliativos são uma abordagem humanizada de cuidar do paciente, que estende seu olhar a cuidar de quem cuida também.



Carinho e cuidado.  Manto, flores do campo e caneca.
Foto: Debby Hudson (Unsplash)


Paliativo vem da palavra latina Pallium que se referia a um tipo de manto na Grécia e Roma antigas e, mais tarde, a uma faixa de lã branca com pingentes na frente e nas costas, usada pelos Papas ou arcebispos como símbolo de plena autoridade episcopal. Pallium também dá origem ao verbo paliar, que significa cobrir, envolver, vestir ou abrigar. Assim, quando a causa não pode ser curada, entra em ação os cuidados paliativos, para assistir os pacientes com tratamentos específicos e humanizados.


Os cuidados paliativos são uma filosofia de cuidados, muito abrangente e multidisciplinar, com foco na compreensão e atendimento a uma série de necessidades para manter a qualidade de vida, equilibrando-a com terapias apropriadas. Quando os pacientes recebem cuidados paliativos, são cobertos de cuidado e conforto, pois a atenção está totalmente focada no gerenciamento de sintomas e dor; o foco está na qualidade de vida. Nessa abordagem humanizada, as famílias também estão envolvidas no cuidar.


O encaminhamento para cuidados paliativos não significa que os médicos estão desistindo de um paciente ou deixando de oferecer cuidados médicos porque seriam inúteis. Em vez disso, os tratamentos visam a aliviar os efeitos de uma doença, fazer a pessoa se sentir melhor para atravessar o tratamento. É aconselhável que esses cuidados sejam iniciados no diagnóstico de uma doença que ameace a vida de qualquer paciente.


Além da dor física


Cicely Saunders foi uma enfermeira, assistente social, médica e escritora inglesa. Ela é conhecida, mundialmente, por seu trabalho na pesquisa de cuidados terminais e seu papel no nascimento do movimento de cuidados paliativos, enfatizando a importância dos cuidados paliativos na medicina moderna.


Saunders introduziu a ideia de "dor total", que abrange os sofrimentos físico, emocional, social e espiritual. Nós, aqui no Colo, aprendemos no Sentinelas, a considerar o sofrimento familiar como um sofrimento adicional. Esse olhar abrangente sobre a dor humana possibilita levar, ao paciente e a sua família (o cuidar de quem cuida) uma variedade de intervenções que colaborem para seu bem-estar, alivio de sintomas. É possível envolve-los com diversos “mantos”: a musicoterapia, aromaterapia, a massagem, a nutrição afetiva, por exemplo.


De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), “os cuidados paliativos são uma parte crucial dos serviços de saúde integrados e centrados nas pessoas. Aliviar o sofrimento grave relacionado à saúde, seja ele físico, psicológico, social ou espiritual, é uma responsabilidade ética global. Assim, se a causa do sofrimento é uma doença cardiovascular, câncer, falência de órgãos importantes, tuberculose resistente a medicamentos, queimaduras graves, doença crônica terminal, trauma agudo, prematuridade extrema ou fragilidade extrema da velhice, os cuidados paliativos podem ser necessários e deve estar disponível em todos os níveis de atenção. Estima-se que globalmente que apenas 14% dos pacientes que necessitam de cuidados paliativos o recebam”.


Há um caminho a percorrer até que todos os que necessitem deste Manto de proteção e cuidado possam recebê-lo. Os os primeiros passos já foram dados e a cada dia que passa, mais pessoas se preparam para a tarefa de cuidar com o olhar diferenciado que necessita, lembrando que o cuidar para além da doença, o cuidado paliativo, requer a atuação de uma equipe multidisciplinar: equipe médica e de profissionais da saúde, terapeutas, psicólogos, cuidadores e também de um Sentinela de Fim de Vida.


Assim, os cuidados paliativos são um manto de amor e proteção que envolve a pessoa na sua protegendo a sua integridade.



Elizangela Rubia

Aquela que dá colo

Aromaterapeuta e Educadora na área de Aromaterapia. Aplica Massagem Sonora (Soundhealing).

Formada em Medicina Tibetana no Centro de Medicina Tibetana de Milão. PaliAtivista

Sentinela - Guardiã de Fim de Vida, Tanatóloga em Formação



Leia outro texto de Elizangela sobre aromaterapia e cuidados paliativos.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo