top of page
  • Colo Cumaru

Para algumas pessoas, a música é um passatempo. Outras tantas não ligam para ela. Para muitas, são a ponte que as conecta com as memórias. Há aquelas para as quais a música é o alimento da alma. Para o Colo de Cumaru, a música é ponte, é alimento, é remédio. Está nas recomendações para o cuidado e autocuidado.

Ilustração de símbolos e figuras musicais coloridas
Foto: Canva

É potente a utilização dos sons se se recorre a ele para favorecer a interação entre pacientes e equipe responsável pelos cuidados com o objetivo de motivar, organizar e até mesmo aliviar frustrações. Muitas vezes, os próprios cuidadores e familiares são beneficiados também. Hoje, no Brasil, já existem vários exemplos bem-sucedidos de grupos que levam a música para hospitais, salas de quimioterapia, casas de acolhimento. Os resultados são animadores.



A combinação da ciência com a música vem avançando nas últimas décadas. São vários os estudos que demonstram que música pode aliviar a dor. Ela pode acolher, ajudar a aliviar angústias e favorecer o relaxamento.


O Nexo Jornal trouxe uma matéria lembrando-nos do poder da música de acionar as nossas memórias. A associação de uma música e eventos passados é imediata. Nosso cérebro é mesmo perfeito.


A matéria também fala de uma iniciativa chamada “The Sound of Love”, que reúne e seleciona comentários postados por usuários no YouTube sobre canções que foram um marco em suas vidas e que reativaram boas lembranças.


O Colo que acolhe: lembre-se sempre de que a música é cura. Use-a sempre que precisar.



Além da música, veja que outras ferramentas podem ser usadas para o alívio de sintomas como dor, ansiedade, stress. mais sobre dicas do Colo de Cumaru para o cuidado e autocuidado



9 visualizações0 comentário
  • Colo Cumaru

Atualizado: 3 de jul. de 2022

Cuidar é a razão de existir do Colo de Cumaru. Cuidar o Ser Humano, cuidar de quem cuida.



Bolha de sabão sobre folha de árvore
Foto: Aaron Burden (Unsplash)

Quando nos deparamos com artigos, matérias ou qualquer outro conteúdo que fale do ato de cuidar da forma como acreditamos, queremos compartilhar com vocês, com o mundo.

O Blog Newa publicou um artigo da psicóloga Cristiane Ferraz Prade, que soou como música para nossos ouvidos. E de música, ela entende. Cris é mestre em musicoterapeuta, especialista em luto, sócia-fundadora da Associação Casa do Cuidar, cofundadora da Casa Paliativa. Há alguns anos reside na Inglaterra, onde trabalha com cuidados paliativos. Foi, também, professora da Elizangela e da Juliana, no curso Sentinelas, quando aprenderam a dar colo de maneira diferenciada.


Segundo Cris, cuidar é uma habilidade que todos temos, só que “é uma habilidade que requer muitas outras pequenas habilidades, somadas à capacidade da escuta ativa, da compaixão, da troca, do olhar. Requer tempo e é caro o investimento de presença”. E é por isso que ela afirma que essa é uma habilidade profunda que requer que estejamos preparados para responder à necessidade da pessoa que estiver diante de nós.


Presença é a palavra. Estar presente transforma as relações consigo mesmo e com os outros. E nessa transformação o cuidar é elevado a um outro patamar, o da humanidade.


Em tempo: Cris também desenvolve o Vital Kompass, projeto em fala sobre temas relacionados a bem-estar, na saúde mental, cuidados paliativos, mudanças e muita coisa mais.

15 visualizações0 comentário
  • Colo Cumaru

Atualizado: 3 de jul. de 2022

Os aroma podem beneficiar pacientes em cuidados paliativos mais do que se pode imaginar.



Campos de lavanda.
Foto: Cristian Vieriu (Unsplash)


Qual o seu cheiro favorito? Será de um bolo de laranja assando? Ou de café fresco? Você gosta do cheiro de baunilha?


Aromas acionam nossas memórias e, em seguida, dependendo da memória acionada, você sente um bem-estar enorme. O aroma do bolo de laranja assando fez você se lembrar das tardes em que passava com aquela avó amorosa? E você se lembrou dela e sorriu? E depois, deu um suspiro e relaxou? Então, você entrou em contato com um dos poderes de um aroma!


Há uma ciência que usa os aromas naturais para trazer bem-estar e equilíbrio para as pessoas. Ela é a Aromaterapia, ou a ciência e arte do uso de óleos essenciais extraídos de plantas aromáticas para EQUILIBRAR, HARMONIZAR e CUIDAR do corpo, da mente e do espírito. Tudo isso com um uma propriedade adicional: a segurança.


E o que são os óleos essenciais? São substâncias voláteis perfumadas e oleosas, extraídas de plantas aromáticas e medicinais altamente concentradas. Eles podem ser extraídos da casca dos cítricos (como o limão), de cascas de árvores (como a canela) e plantas (como a lavanda), por exemplo.


Dentre os vários benefícios que a Aromaterapia pode proporcionar aos pacientes sob os Cuidados Paliativos, é possível citar o gerenciamento da dor, a melhora na qualidade de sono, o alívio da fadiga e do desconforto. Oferece conforto e alívio ao sofrimento nas dimensões física, emocional, mental e espiritual.


É provado que tratamentos com Aromaterapia também podem propiciar a diminuição da ansiedade, do estresse, da tristeza, da insegurança e do sofrimento psicológico. Podem, ainda, proporcionar a melhora do humor, permitindo um reengajamento a reconexão com os prazeres da vida.


É importante ressaltar que o tratamento com a Aromaterapia não deve ficar restrito aos pacientes. Familiares, profissionais da saúde e todos os envolvidos nos cuidados do paciente também podem se beneficiar.


Vasant Lad, médico indiano considerado uma das maiores autoridades em Ayurveda no mundo, explica em seu livro “A Yoga das Ervas” que “as plantas transmitem os impulsos vitais-emocionais, a força vital que se esconde na luz. Esse é o dom, a graça, o poder das plantas... A existência das plantas é uma grande oferenda, um sacrifício. Elas nos oferecem não apenas seu próprio valor nutricional, mas a luz e o amor das estrelas, do cosmos de quem são mensageiros.”


Que maravilha poder ter a nosso alcance este presente das plantas!


Elizangela Rubia

Aquela que dá colo

Aromaterapeuta e Educadora na área de Aromaterapia. Aplica Massagem Sonora (Soundhealing).

Formada em Medicina Tibetana no Centro de Medicina Tibetana de Milão. PaliAtivista

Sentinela - Guardiã de Fim de Vida, Tanatóloga em Formação


34 visualizações0 comentário
bottom of page